Instituto TIM

As plantas nem sempre foram como são agora

16/05/2017

Assim como os animais, as plantas passaram por um processo de evolução que envolveu muitas adaptações às mudanças que ocorreram no mundo. As primeiras plantas que existiram foram algas marinhas, mas não se sabe ao certo quando elas surgiram. Naquele período, não existia ainda a camada de ozônio, que funciona como uma capa de gás na atmosfera que absorve a maior parte dos raios solares. Imagina se todos os raios solares atingissem a Terra sem nenhum obstáculo? A gente nem conseguiria sobreviver! Graças à fotossíntese das algas, que liberam oxigênio para a atmosfera, a camada de ozônio foi formada e criou condições para que mais formas de vida surgissem por aqui.

E foi assim que, há 500 milhões de anos, uma espécie de alga verde desenvolveu adaptações em seu organismo para viver fora da água, dando origem às primeiras plantas terrestres. Outro fator que ajudou nessa mudança foram os longos períodos de seca da época. Como a evaporação da água deixava as algas ainda mais expostas ao ar, elas precisavam encontrar uma forma de sobreviver. E muitas adaptações ocorreram nas plantas para que elas se espalhassem pela terra: mudanças no organismo para distribuir a seiva e controlar a perda de água, manter as sementes protegidas no interior dos frutos, raízes longas para obter água do solo… Cada grupo de plantas desenvolveu um mecanismo próprio de sobrevivência.

Ao longo do tempo, as mais diversas espécies de plantas dominaram os continentes e formaram biomas. Tudo isso aconteceu de forma natural. Mas também houve outro tipo de evolução das plantas chamada de seleção artificial, que começou após o surgimento da agricultura (há cerca de 10 mil anos).

Nessa época, agricultores começaram a selecionar para o plantio apenas as sementes das frutas, verduras e legumes maiores, mais saborosos, mais práticos de se alimentar, entre outras características. Depois de tanto tempo fazendo isso, esses alimentos passaram a nascer com outros aspectos, até chegar nas espécies que conhecemos. Por esse motivo, esse tipo de evolução é chamado de seleção artificial: ele foi causado pelos seres humanos, e não pela própria natureza.

Muitas das frutas, verduras e legumes de hoje não são nada parecidos com o que eram há muitos anos. A melancia já pesou menos de 1 kg e tinha um gosto amargo. O milho veio de uma planta chamada teosinto, que é muito fininha, mede cerca de 2 cm e é difícil de descascar.

Confira alguns exemplos no vídeo abaixo, feito pelo site norte-americano Business Insider. As informações estão em inglês, mas dá para ver as imagens de como eram cinco alimentos antes de serem modificados pela agricultura. O vídeo mostra os exemplos nesta ordem: cenoura, beringela, milho, melancia e banana (primeiro aparece uma imagem de como era o alimento há muitos anos e, depois, uma foto atual).

 

 

Notícias relacionadas:
Como era o Brasil há vários milhões de anos?
– Dinossauros, aves e uma ligação de milhões de anos
– A evolução ilustrada por crianças do EF

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *