Instituto TIM

Criatividade à solta em nomes científicos

09/12/2015

Os seres vivos têm nomes diferentes em cada idioma. O cachorro é chamado assim em português, mas vira “dog” em inglês e “perro” em espanhol. Às vezes, há nomes diferentes em um único idioma para a mesma espécie! Um bom exemplo aqui no Brasil é a fruta tangerina, que em algumas regiões é chamada de mexerica ou bergamota. Para facilitar o estudo, os cientistas usam uma nomenclatura especial para que cada espécie tenha uma identificação única e que possa valer para todos os idiomas e países: os nomes científicos.

Quem criou as regras para esses nomes foi o cientista Carl Linné, no século XVIII. Carl determinou que eles devem ser formados por duas palavras. A primeira identifica o gênero ao qual a espécie pertence. O leão, o tigre, o leopardo e a onça-pintada são do mesmo gênero, então todos têm o nome científico começado por Panthera. Já o segundo nome é o que vai diferenciar a espécie das outras, como leo (leão), tigris (tigre), pardus (leopardo) e onca (onça).

Muitos dos nomes estão em latim ou são adaptados para essa língua bem antiga, mas podem ser escolhidas palavras de qualquer idioma – contanto que utilizem as letras do alfabeto latino, que é o que a gente usa na língua portuguesa. Além disso, os nomes devem ser escritos em itálico ou negrito, com a letra inicial da primeira palavra em maiúsculo e a da segunda, em minúsculo.

Com essas regras, a primeira palavra dos nomes científicos só pode ser inventada se a espécie não pertencer a nenhum gênero que já existe. Para a segunda palavra, os cientistas que descobrem a espécie têm liberdade para escolher o nome que quiserem. E é aí que alguns deles usam toda a criatividade! Além de ter palavras engraçadas ou curiosas, há também referências a cientistas, artistas, filmes, livros, entre outros. Veja só alguns exemplos:

 

– A árvore carnaúba, que tem a copa redonda, foi batizada de Copernicia prunifera em homenagem ao cientista polonês Nicolau Copérnico, que lançou a primeira teoria de que a Terra gira em torno do Sol. O nome do protozoário Trypanosoma cruzi, um micro-organismo que causa a doença de Chagas, homenageia o médico brasileiro Oswaldo Cruz.

Carnauba

O nome científico da carnaúba, Copernicia prunifera, homenageia o cientista Nicolau Copérnico – Crédito: Reynaldo Fonseca/Wikimedia Commons

 

– A série de filmes “Star Wars” já inspirou diversos nomes científicos. Os personagens Darth Vader, Mestre Yoda e Chewbacca deram nome às espécies de vespa Polemistus vaderi, Polemistus yoda e Polemistus chewbacca. A formiga Tetramorium jedi faz referência aos cavaleiros jedi dos filmes. E esses são apenas alguns exemplos!

Tetramorium_jedi_casent0043578_p_1_high

Tetramorium jedi, uma das espécies que fazem referência à série de filmes “Star Wars” – Crédito: Shannon Hartman/AntWeb

 

– Entre as celebridades que viraram nomes científicos estão a cantora Beyoncé, com a mosca Scaptia beyonceae, e o ator Arnold Schwarzenegger, com o besouro Agra schwarzeneggeri. Até o personagem Bob Esponja foi lembrado! Tem uma espécie de fungo que se chama Spongiforma squarepantsii (o nome do desenho em inglês é “SpongeBob SquarePants”).

Spongiforma_squarepantsii_151595

O pequeno fungo Spongiforma squarepantsii teve seu nome inspirado no personagem Bob Esponja – Crédito: Tom Bruns/Mushroom Observer

 

Saiba mais:
Ciência Hoje das Crianças
Mundo Estranho
Smithsonian (em inglês)

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *