Instituto TIM

Isaac Newton e sua revolução na ciência

28/03/2017

Quem não é muito familiarizado com o mundo da ciência costuma lembrar do físico inglês Isaac Newton pela história da maçã. Diz a lenda que ele estava descansando debaixo de uma macieira, quando uma maçã caiu em sua cabeça. A partir daí, Newton começou a refletir sobre a existência da gravidade, uma de suas grandes contribuições para a ciência. Ninguém sabe se, de fato, essa história aconteceu. Algumas pessoas próximas ao físico dizem que ele relatou ter visto a maçã caindo, mas não em sua cabeça. A verdade é que importância de Newton para a ciência vai muito além dessa lenda: ele foi um dos maiores cientistas da história.

Neil deGrasse Tyson, um famoso astrofísico da atualidade, disse em uma entrevista que considera Newton a pessoa mais inteligente que já existiu na Terra (veja o vídeo nesta matéria). E se não fosse por seu gosto e insistência em estudar, talvez ele nunca tivesse conseguido realizar as descobertas que transformaram a física e a matemática. Newton foi deixado para ser criado pela avó logo após seu nascimento, em 1643. Seu pai faleceu três meses antes e sua mãe casou novamente, mas não o levou para a nova casa. Isso fez com que ele se tornasse uma pessoa bastante insegura e desconfiada, com poucos amigos, mas bastante concentrada em seu trabalho.

Aos 12 anos, sua mãe voltou a viver com ele. Só que ela o tirou da escola porque queria que Newton se tornasse um fazendeiro, como seu pai. É claro que ele não gostou nem um pouquinho da ideia! Como era péssimo nas tarefas diárias da fazenda, voltou a estudar. Foi seu tio quem convenceu a mãe de Newton a deixá-lo estudar na Universidade de Cambridge, uma das mais prestigiadas da Inglaterra. Em 1665, uma epidemia de peste bubônica atingiu a Europa e fez com que a universidade fechasse temporariamente, o que quase interrompeu a rotina intensa de estudos do físico. Quase, porque mesmo de volta à fazenda de sua família por um ano e meio, Newton não parou de estudar!

Aliás, esse foi um de seus períodos mais produtivos, porque ele começou a desenvolver teorias sobre conceitos como luz e cores, gravidade, cálculo infinitesimal (com números muito, mas muito pequenos, próximos do zero), entre outros. Enquanto estava na fazenda, transformou seu quarto em um laboratório e fez um simples experimento com prismas, mas que deixou os cientistas da época chocados. Pensava-se que a luz branca era uma luz única, e que as cores formadas quando a luz passava pelo prisma eram manchas que o prisma causava na luz. Newton provou que a luz branca é uma mistura de luzes das cores do arco-íris, e o que prisma faz é separar essas luzes. Com base nessa descoberta, ele conseguiu construir um telescópio muito mais preciso do que os que existiam naquele tempo.

Em 1687, o físico publicou uma das obras mais importantes da ciência: “Princípios matemáticos da filosofia natural”. O livro é repleto de explicações sobre quase todos os conceitos que envolvem a física, incluindo a gravidade e o movimento. Suas teorias ajudaram a humanidade a entender a órbita da Lua, a massa dos planetas, o movimento dos astros no universo e mais um monte de coisas que revolucionaram a ciência e foram o ponto de partida para outras descobertas – mesmo aquelas que corrigiram algumas das afirmações de Newton, como a Teoria da Relatividade Geral, de Albert Einstein. Na animação abaixo, você pode conhecer mais um pouco do trabalho desse grande cientista.

 

 

Saiba mais:
Superinteressante
History
Biography (em inglês)
BBC (em inglês)

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *