Instituto TIM

O dia a dia na Estação Espacial Internacional

19/05/2016

Dar uma volta completa ao redor da Terra é uma rotina tão comum para um certo grupo de pessoas quanto escovar os dentes. E não é apenas uma voltinha: os astronautas que habitam a Estação Espacial Internacional (EEI) fazem isso 16 vezes ao dia! Esse enorme complexo de quase 420 toneladas já abrigou 222 pessoas de 18 países desde 2000, quando recebeu os primeiros astronautas. Lá do alto, a uma distância de 400 km da Terra, eles fazem pesquisas e experimentos em diversas áreas que não poderiam ser feitos por aqui – apenas em um ambiente onde o efeito da gravidade é bem pequeno.

Construir uma estação que tem o comprimento de um campo de futebol e colocá-la em órbita não é uma tarefa simples. Essa missão envolveu equipes das agências espaciais dos Estados Unidos, da Europa, da Rússia, do Japão e do Canadá. De 1998 a 2011, elas fizeram mais de 40 viagens para levar as peças e construir a EEI lá no espaço, já que seria impossível lançá-la aqui da Terra. Por isso, a EEI é considerada o maior programa de cooperação internacional em ciência e tecnologia que já existiu.

 

s134e010137

 

A energia necessária para fazer os equipamentos funcionarem vem do Sol. A estação conta com painéis imensos, com mais de 4 mil m², para captar a luz solar. Por causa deles, a EEI é o segundo objeto mais brilhante que pode ser visto no céu a olho nu, depois da Lua. Dá até mesmo para avistá-la de todo o Brasil, e existem sites e aplicativos que avisam quando ela passará por aqui. Por enquanto, apenas um brasileiro esteve lá: o astronauta Marcos Pontes, que em 2006 passou oito dias realizando pesquisas e ajudando na manutenção da EEI.

Outro objetivo bem importante das pesquisas é estudar os efeitos da microgravidade no corpo humano. Assim, será possível planejar futuras missões para levar astronautas a lugares ainda mais distantes, como Marte. Os astronautas Scott Kelly, dos Estados Unidos, e Mikhail Kornienko, da Rússia, voltaram da EEI em março e estão passando por diversos testes médicos depois de ficarem por 340 dias na estação. O irmão gêmeo de Scott, Mark, ficou aqui na Terra e também está participando dos estudos, para que possam comparar as diferenças entre os dois depois desta longa jornada.

E como será viver em um lugar como esse? Além das tarefas diárias de pesquisa e manutenção, os astronautas também têm momentos para se divertir, conversar com seus familiares e amigos na Terra e apreciar a vista do nosso planeta. Tudo isso com o desafio de viver flutuando pela estação, que viaja a uma velocidade de 28,8 mil km/h. O site BBC Brasil publicou uma reportagem especial repleta de vídeos feitos pelos astronautas da EEI para mostrar um pouco de sua rotina no espaço. Clique aqui para conferir.

 

s135e011814

Créditos das fotos: NASA

1 comentário

  1. A ciência é muito importante para nossa vida

    Responder

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *