Instituto TIM

O universo observado por Galileu Galilei

19/06/2017

E se a Terra fosse o centro do universo e todos os astros girassem ao seu redor? Parece uma ideia esquisita? Durante séculos, esse foi o pensamento da maioria dos cientistas e filósofos pelo mundo. O polonês Nicolau Copérnico foi o primeiro a apresentar, no século XVI, modelos matemáticos que questionavam a teoria geocêntrica, como essa ideia é chamada. Ele afirmou que a Terra era só mais um dos planetas que orbitavam o Sol. A teoria de Copérnico não chegou a mudar a crença da sociedade na época, mas colocou uma pulga atrás da orelha de outros cientistas que aprimoraram seus estudos, como o alemão Johannes Kepler. Mas foi o italiano Galileu Galilei quem deu as provas mais concretas de que Copérnico estava certo.

Muitos consideram Galileu o pai da ciência moderna porque, para basear suas teorias, ele fazia questão de realizar cálculos matemáticos, observações, experimentos e comprovar o que estava dizendo, dando origem ao método científico. E foi assim que ele conseguiu evidências de que a Terra e outros planetas giravam em torno do Sol. Ao descobrir que um fabricante de lentes holandês havia construído um objeto chamado telescópio, Galileu fez sua própria versão da invenção, 32 vezes mais potente, e passou a observar os astros no céu.

Dentre suas inúmeras descobertas, como as manchas solares e as crateras na Lua, ele percebeu que o planeta Vênus tinha fases, assim como a Lua – algumas vezes dava para vê-lo por completo; em outras, ele ficava totalmente ou parcialmente coberto por uma sombra. Outra observação foram quatro pontinhos brilhantes girando ao redor de Júpiter, que foram as primeiras das 67 luas do planeta descobertas até hoje. Esses foram dois dos indícios que Galileu usou para defender a ideia de que a Terra não era o centro do universo, no século XVIII.

Mas teve gente que não gostou nada disso. A Igreja Católica, que na época tinha tanto poder na Europa quanto reis e rainhas, proibia que se divulgasse qualquer teoria que fosse contra a geocêntrica. Galileu já tinha recebido uma advertência para não publicar nada que defendesse a teoria de Copérnico, mas tentou encontrar uma maneira de escrever disfarçadamente sobre o assunto. No livro “Diálogo sobre os dois principais sistemas do mundo”, três personagens conversam sobre teorias do universo: um defendia a teoria geocêntrica, outro defendia a teoria de Copérnico e o terceiro era imparcial.

Não deu certo. Galileu foi julgado pela Igreja Católica e condenado a passar o resto da sua vida preso em sua casa, sem poder lançar nenhuma obra dentro ou fora da Itália. É claro que o cientista deu um jeito de conseguir publicar livros em outros países, mesmo sem sair de casa. Seus estudos foram importantes não apenas na área da astronomia, mas também da física e da matemática. Um exemplo é o estudo que fez sobre o movimento do pêndulo, que levou mais tarde à criação de relógios muito mais precisos. Ele também demonstrou que objetos de massas diferentes caem com a mesma velocidade no chão – diz a lenda que Galileu fez isso soltando duas bolas de massas diferentes do topo da Torre de Pisa, na Itália (veja um experimento atual sobre esse tema aqui).

Conheça mais da história deste grande cientista na animação – episódio da série “Mentes Brilhantes”, transmitida pela TV Escola – e nos links abaixo.

 

 

Saiba mais:
Canal Ciência
DW
History
Instituto de Física de São Carlos – USP

 

Notícias relacionadas:
Isaac Newton e sua revolução na ciência
Marie Curie: uma história de força e sucesso
As aventuras de Alfred Wallace no Brasil

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *