Instituto TIM

Verificar

TIM Faz Ciência explora 7 operações intelectuais necessárias à construção do conhecimento.
Aqui vamos falar sobre a operação Verificar.

 

Por volta de 1850 a maternidade do Hospital Geral de Viena vivia uma epidemia para a qual os médicos não  tinham uma explicação convincente. O índice de mortalidade das mães que lá davam à luz era maior do que aqueles registrados em hospitais vizinhos ou entre mães que pariam em suas próprias casas. Muitos médicos que lá trabalhavam atribuíam a doença – uma febre letal que acometia as mulheres logo após seu parto – a causas atmosféricas, como miasmas e variações climáticas. Outros acreditavam que ela seria causada por fatores psicológicos, como o pavor causado pela recorrente visão de um padre que vinha ao hospital dar a extrema unção às mães em estado terminal. O médico húngaro Semmelweis desconfiava das explicações e hipóteses de seus colegas.

Ora, se a causa fosse atmosférica ou climática, por que naquele hospital os índices de mortalidade eram maiores do que em seus vizinhos próximos? Ele também não acreditava que o medo era a causa das mortes, afinal era o índice de mortalidade que provocava medo nas parturientes e não o contrário. Mas, neste caso, ao invés de simplesmente apresentar seu argumento, Semmelweis decidiu verificar se a hipótese de seus colegas estava correta. Como o medo era supostamente disseminado pela passagem do padre entre as parturientes, Semmelweis pediu-lhe que não mais circulasse nas enfermarias e ele assim o fez. O índice de mortalidade, no entanto, permaneceu o mesmo. O que acabou por lhe sugerir uma nova hipótese para a origem da doença, contudo, foi um estranho incidente.

Um de seus colegas, também médico desse hospital, feriu-se com seu bisturi e, em poucos dias, veio a falecer de uma doença cujos sintomas eram muito próximos aos da febre que acometia as parturientes. Semmelweis formulou, então, sua hipótese: a doença era transmitida pelos próprios médicos que, em suas atividades de ensino e aprendizagem, passavam do local onde faziam dissecação de cadáveres para as salas de parto sem nenhum procedimento eficaz de desinfecção de suas mãos e instrumentos. Para Semmelweis a causa da doença era a “matéria cadavérica” e não as condições climáticas da cidade ou o estado psicológico das parturientes. Sua hipótese foi recebida com ceticismo e desconfiança. Ele decidiu, então, verificá-la por meio de um experimento: todos os médicos e residentes, ao sair do necrotério, deveriam desinfetar suas mãos com cloro. Feito esse procedimento, as mortes caíram substancialmente, o que corroborava, ao menos inicialmente, sua explicação.

A tese de Semmelweis contrariava a visão então dominante sobre as causas das doenças, além de responsabilizar os próprios médicos por sua propagação, e por isso não foi bem aceita. Foi somente depois de submetê-la a um teste, ou seja, depois de criar uma forma de verificar sua provável veracidade, que suas ideias começaram a ser aceitas entre seus pares. Esse episódio, famoso na história da medicina, ilustra bem o papel central que a verificação por meio de um teste experimental pode ter no campo das pesquisas. Um incidente – a morte de um colega – sugeriu a Semmelweis uma possível explicação (uma hipótese) acerca da causa da doença. Uma vez concebida a hipótese, era preciso verificá-la, ou seja, procurar evidências que pudessem corroborar ou refutar a hipótese inicial. Para isso Semmelweis propôs uma forma de controle experimental: um teste controlado capaz de verificar sua hipótese.

Mas não é só no caso de hipóteses científicas que buscamos formas de verificar a verdade de um enunciado ou a correção de um procedimento. Em uma investigação policial, por exemplo, é frequente recorrer a uma acareação para confrontar depoimentos divergentes sobre um mesmo fato. Trata-se de uma forma de verificar quem diz a verdade. Noutras ocasiões podemos verificar a grafia de uma palavra no dicionário para conferir se a escrevemos corretamente ou mesmo conferir a conta de um restaurante para verificar se não houve nenhum engano. Verificar é, portanto, se dispor a examinar a veracidade de um enunciado ou alegação, buscar uma forma de se certificar que algo é verdadeiro ou que funciona tal como esperado. Isso implica, portanto, uma atitude e uma disposição não só para questionar algo, mas para desenvolver formas de verificação. Essas formas, por vezes, são bastante habituais, como no caso dos dicionários ou de um exame para verificar se alguém é portador de um vírus conhecido. Mas há ocasiões em que se torna necessário inventar – como Semmelweis o fez – uma forma de testar uma hipótese. A verificação é fruto não simplesmente de uma técnica ou hábito, mas de uma disposição: a de buscar formas de comprovação daquilo que se crê ser verdadeiro, válido ou eficaz.

 

Professor José Sérgio Carvalho
Livre-docente em Filosofia de Educação na Universidade de São Paulo

40 Comentários

  1. E AIIIIIIIIIIIIIII PESSOAL eu apremde que verificar e importante

    Responder
  2. So gostei do Verificar…

    o saite e legal videos de como apreder e gostei do Aplicar…

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Por que você só gostou do Verificar e do Aplicar, Tais?
      O que você não gostou nas outras operações?

      Responder
  3. Eu gostei

    Responder
  4. Olá meu nome é Miguel Borba Meyer do quinto ano turma 5b da E.M.E.F Santos Dumont em Canoas RS.

    Eu aprendi que verificar é procurar, analisar os fatos para descobrir a verdade de todas as minhas hipóteses.

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Muito bem, Miguel!
      E você já colocou esse superpoder em prática? Em outras palavras, o que você já verificou?

      Responder
    • Disso eu ja sabia verificar e analisar.

      Responder
  5. Por que nos precisamos verificar se podemos observar?
    Para que serve verificar?
    Se nos não observamos podemos verificar?
    Por que é preciso observar para verificar?

    Responder
    • Eu aprendi que Verificar é Conferir se minha hipoteses esta certa

      Responder
    • Durante as aulas de Verificar eu descobri que Verificar é muito importante para todos que precisão e que querem descobrir. E também, e muito importante para as pessoas descobrir as coisas que ela querem !!!

      Responder
      • Equipe TIM Faz Ciência

        Isso mesmo, meninas! Vocês realmente entenderam o que é verificar! 🙂

        Responder
  6. ola tim faz ciencia eu e a bruna ja fizemos perguntas mas como o tim faz ciencia e cheio de curiosidades queremos fazer mais perguntas aqui eu tenho uma pergunta : vai ter mais tipos de tim faz ciencia ? bjs mandem resposta

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Olá, meninas!
      TIM Faz Ciência é novinho: temos apenas dois anos! Ainda é cedo pra saber se haverá mais livros ou se o programa terá mais “tipos”, como vocês disseram. Quem sabe um dia, não é mesmo?

      Responder
  7. tim e legal e bom

    Responder
  8. Olá tim faz ciencia !qual é o nome do criador do tim faz ciencia ?

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Olá, Maria Eduarda!
      TIM Faz Ciência foi desenvolvido com base nas ideias de um pensador muito importante chamado Neil Postman, mas diversas pessoas trabalharam para tornar esse programa uma realidade. Se você abrir seu Caderno do Estudante na página 90 vai ver lá o nome de todo mundo que contribuiu para a criação desses materiais. É um monte de gente! 🙂

      Responder
  9. olá tim faz ciencia! queremos saber que ano foi criado o tim faz ciencia??

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Meninas, TIM Faz Ciência foi criado durante o ano de 2013, e chegou às escolas em 2014.

      Responder
  10. com o tim eu aprendi bastante coisa observar verifica e muitas mais coisas

    Responder
  11. BOM ESTE CAPITULO E OTIMO TEM VARIOS TEXTOS E PERGUNTAS E NOS APRENDEMOS MELHOR O QUE E VERIFICAR POR ISSO NA MINHA OPINIAO PELO O QUE EU ESTUDEI ATE AGORA UM TEXTO QUE FOI MUITO LEGAL FOI O TEXTO DO ROCAMBOLE E UMA HISTORIA MUITO ENGRACADA E NOS TAMBEM LEMOS O TEXTO MULHERES DA VIENA E ESSE MEDICO FEZ UMA GRANDE DESCOBERTA E NOS PARAMOS PERTO DO PROXIMO CAPITULO E ESPERO QUE NO PROXIMO CAPITULO SEJE IGUAL AO CPITULO VERIFICAR MAS SO QUE COM OUTRAS EXPLICACOES O NOME DA MINHA PROFESSORA QUE ENSINA PROJETO TIM E ELIANE MARIA COTRIM E OBSERVO OS OUTROS ALUNOS E VEJO QUE ELES ESTAO SATISFEITOS COM ESTE CAPITULO OPA ESCREVI DE MAIS ! E MELHOR PARAR POR AQUI MAS ANTES QUERO DESEJAR MUITO SUSSESO PRA VOCES!

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Julia, obrigada pelo seu recadinho! Tomara que você goste de Classificar tanto quanto gostou de Verificar!
      Depois volte aqui e conte o que você achou das atividades da próxima operação.

      Responder
    • eu adorei mas eu só queria saber as respostas

      Responder
      • Equipe TIM Faz Ciência

        Você está em que percurso, Josi?
        O material de TIM Faz Ciência não traz as respostas dos desafios porque a intenção é que vocês busquem por elas. Você está com alguma dúvida?

        Responder
  12. nota dez!!!!

    Responder
  13. Oi,TIM Faz Ciências
    Nós estamos fazendo um trabalho sobre observar,verificar,classificar e estamos gostando do TIM Faz Ciências.
    Continue com o TIM Faz Ciências.

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Meninos, vocês ainda têm muitas operações pela frente: definir, questionar, aplicar e generalizar. Fiquem tranquilos que ainda tem bastante coisa pra fazer nas aulas de TIM Faz Ciência!

      Responder
  14. Samos alunas da Valquiria 4ºD gostamos muito do TIM Faz Ciencia, agora estamos trabalhando com o Classificar… estamos anciosas para terminar ele ;3

    ass: Giovanna

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Vocês estão curtindo o Classificar, meninas? O que mais gostaram de TIM Faz Ciência até agora?

      Responder
  15. Olá,
    Estou amando participar do TIM FAZ CIÊNCIA! Para mim é muito importante saber das 7 operações, pois vai ser muito necessário aprender sobre elas. Atualmente estou na VERIFICAR mas na próxima aula entraremos na CLASSIFICAR. Sempre fico ansiosa quando vou passar para outra operação e, sei que tirarei proveito dela para toda minha vida ,pois, quando aprendemos coisas boas, necessárias e úteis para nossa vida a gente nunca deve esquecer.
    A minha principal razão de fazer este comentário é, dizer obrigada por terem criado esse projeto maravilhoso que nos ensina cada vez mais.
    Assinado: Letícia de Almeida Hayakawa

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Quando a gente aprende coisas novas, Letícia, é como se a gente ganhasse um superpoder. Queremos que você e todos os seus colegas possam ganhar muitos superpoderes com TIM Faz Ciência.
      Obrigada pelo lindo comentário!

      Responder
  16. eu quero dizer que o tim faz ciencias é otimo e eu estou aprendendo muitas coisas e estou adorando este livro é muito bom para o aprendizado otimo nota dez!!!

    Responder
  17. achei esse projeto muito legal as operações do tim faz ciencias!!!!!!!!!!!

    Responder
  18. Estou aprendendo muito com o livro.Obrigado TIM ,pela oportunidade.
    DE:Gustavo e Vytor K.

    Responder
  19. Oi eu sou Vitor junto com meu amigo Danilo e queremos agradecer ao livro TIM Faz Ciências já estamos no Verificar lemos o texto do Observar e Verificar. Agora com o Observar nos observamos muito mais as coisas do que antes.

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      E verificar, Danilo e Vitor? Vocês têm usado essa operação no dia a dia também?

      Responder
  20. Olá!
    Adoramos participar do projeto TIM FAZ CIÊNCIAS.

    Responder
  21. Olá tim faz ciências eu sou Júlia Rafaela da turma do 5 ano minha professora Tais Rosa está trabalhando com minha turma o tim faz ciências a gente já fez observar,verificar e classificar no observar nos lemos a história do Zé,Dorotéia e as árvores e aprendemos a observar as coisas que nunca observamos exemplo:a gente cai todos os dias mas se perguntamos porque caímos tanto em todos os dias daí páramos para pensar que a gente cai todos os dias porque nossos sapatos estão desamarradas.No verificar nos lemos as histórias (“o estranho caso das mulheres de Viena e “O racombole de 5 voltas”) na história do estranho caso das mulheres de Viena aprendemos que quando nos digam alguma coisa temos que verificar e do mesmo jeito a outra história do rocambole de 5 voltas. Tim faz ciências minha professora fala que observar verificar classificar questionár definir aplicar generalizar são pro resto de nossas vidas que sem essas etapas a gente não consegue ter uma vida porque a nossa vida precisa de matemática português ciências e o tim faz ciências é pra nossa vida porque daí a vida não se chama vida.

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Júlia, com certeza você vai usar as operações intelectuais de TIM Faz Ciência a vida toda. Afinal, quando você está arrumando seu armário, você não separa as roupas de acordo com tamanho, tipo, quais usa mais? Isso é classificar. E quando você descobre que não gosta de alguma comida (por exemplo, de jiló), você começa a achar que também não gosta de nada que seja feito com aquela coisa (bolo de jiló, sopa de jiló)? Isso é generalizar.
      A matemática e o português funcionam do mesmo jeito. Você usa a matemática para calcular se pode comprar alguma coisa com as moedas do cofrinho ou a mesada. E usa o português o tempo inteiro pra se comunicar, escrever, falar, ouvir…
      Viu só? As operações de TFC, a matemática e o português estão em todos os lugares! É só você começar a observar. 😉

      Responder
  22. EU GOSTEI MUITO DESSE PROJETO MUITO LEGAL

    Responder
  23. eu gostei do projeto do questionar observar e todos

    Responder

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *