Instituto TIM

Alimentação e ciência em foco na SNCT 2016

14/10/2016

Entre 17 e 23 de outubro, instituições de todo o país realizarão atividades de divulgação científica sobre o tema “Ciência alimentando o Brasil”. É a 13ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O tema deste ano foi escolhido devido à decisão da Assembleia Geral das Nações Unidas de que 2016 é o Ano Internacional das Leguminosas.

Diversos assuntos podem ser explorados a partir desse tema: alimentação saudável, segurança alimentar, desperdício de alimentos, reações químicas e processos físicos que acontecem no preparo dos alimentos, agricultura e agronegócio e, é claro, o papel da ciência e da tecnologia nisso tudo. Você já realizou algum projeto sobre esses assuntos com sua turma? Que tal aproveitar a SNCT para preparar uma atividade especial? Veja, a seguir, exemplos de atividades realizadas por três professoras que uniram TIM Faz Ciência a assuntos que serão abordados na SNCT.

A professora Márcia Kopczynski de Freitas Filha pediu que o 5º ano da EMEF Leocádia Felizardo Prestes, de Porto Alegre (RS), trouxesse embalagens de alimentos que tivessem em casa. Primeiro, ela explicou como são estruturadas as informações nos rótulos. Uma coisa que chamou a atenção das crianças foi o fato de que os ingredientes são listados na ordem dos que estão em maior quantidade para os que estão em menor. A turma observou as informações das embalagens que trouxeram, como salgadinho, batata-palha, bala, entre outros.

A partir daí, surgiram vários questionamentos e descobertas. A meninada ficou surpresa em saber que o açúcar é listado como o primeiro ingrediente no achocolatado em pó, que entre os ingredientes da bala está a glicerina e que as letras dos rótulos são tão pequenas e difíceis de ler. O próximo passo foi pesquisar na sala de informática a definição das palavras que eles não conheciam, e a turma viu que muitos nomes complicados são de ingredientes nada saudáveis. “Descobrimos que é preciso prestar muita atenção ao rótulo, pois muito do que está na frente da embalagem não mostra o que realmente tem dentro daquele alimento”, diz Márcia.

Em Goiânia (GO), a garotada do Ciclo II (4º, 5º e 6º anos) da EM Paulo Teixeira de Mendonça está usando as operações intelectuais como metodologia de pesquisa da horta experimental sustentável Cora Coralina. “Nesse espaço observamos, criamos hipóteses, verificamos sua veracidade e apreendemos conceitos”, explica a professora Viviane Arantes de Andrade. A escolha dos alimentos a serem plantados aconteceu depois de pesquisas sobre a escritora goiana Cora Coralina e os ingredientes da região que ela utilizava em suas receitas de doces, como milho, cenoura e mandioca.

Todas as ações realizadas na horta são pesquisadas previamente pelos alunos. Eles verificaram se o tipo de solo era adequado para o plantio, fizeram uma pequena composteira em sala como teste antes de montar uma para a horta, classificaram as hortaliças e pensaram em maneiras de deixar a horta o mais natural possível. Uma das alternativas foi fazer defensivos caseiros, todos comprovados na prática. Eles usam ingredientes como água, borra de café e sabão de coco. Os alimentos da horta são utilizados para consumo na escola.

O tema da pesquisa do 5º ano da EMEF Professora Araci Duarte, de Massaranduba (SC), foi o refrigerante. Os alunos da professora Alires Jakobowski pesquisaram a origem da bebida e aplicaram um questionário com seus familiares para saber quantas vezes por semana eles consomem refrigerante e se acham que ele faz bem ou mal à saúde. As respostas mais comuns foram que o refrigerante faz mal porque engorda, porque é prejudicial para os ossos e que os ácidos presentes na bebida não são saudáveis. Essas hipóteses foram comprovadas em uma palestra com uma nutricionista da Prefeitura, um experimento científico com um osso de galinha e uma pesquisa sobre os ácidos que compõem os refrigerantes.

As atividades continuaram com a classificação dos refrigerantes por cores, sabores e outros critérios, a elaboração de jogos de trilhas com perguntas e respostas sobre a bebida e uma receita de refrigerante natural de limão. No dia 28 de setembro, a garotada organizou um seminário para os alunos da tarde e estudantes do 5º ano de mais três escolas da cidade para conscientizar as crianças a reduzir o consumo de refrigerantes. Ao final da apresentação, as crianças tomaram um lanche saudável e brincaram com os jogos feitos pela turma da Alires.

Confira os relatos completos das professoras Viviane e Alires na seção “Fale, professor(a)!”.

4 Comentários

  1. No dia 17/10 as professoras da Escola Municipal Lúcia Neves Deniur começaram a trabalhar a construção de hortas suspensas,onde está planejando oscespacos da escola e transformando em áreas sustentáveis,reaproveitando garrafas per e outros materiais .

    Responder
    • Equipe TIM Faz Ciência

      Interessante, Marisol.
      Vocês associaram essa atividade a TIM Faz Ciência?
      Chegaram a abordar o tema da SNCT ou o Ano Internacional das Leguminosas?

      Responder
  2. Parabéns professoras Marcia e Leocadia. Adorei as ações que vocês desenvolveram. Alimentação saudável é tudo que nossas crianças precisam aprender.

    Responder
  3. Parabéns pela iniciativa! Temas relevantes e que faz parte do cotidiano dos nossos alunos e familiares.

    Responder

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *