Instituto TIM

Os fascinantes, explosivos e temidos vulcões

20/09/2016

Você já viu imagens de vulcões em atividade? Sabe o que são e como eles se formam? Um vulcão é uma abertura na superfície do solo de um planeta ou satélite natural por onde sai material mais quente, que vem do interior. Esse fenômeno é chamado de erupção. O material quente pode escorrer lentamente ou de forma explosiva, alcançando longas distâncias. Aqui na Terra, vulcões já foram responsáveis pela destruição de cidades, extinção de espécies e por mudanças no clima do planeta − afinal, nem sempre é possível prever as erupções. Mas você sabia que os vulcões são importantes para a formação de rochas e de solos ricos em nutrientes?

Os vulcões podem ser ativos, dormentes ou extintos. Os ativos são aqueles que tiveram erupções recentes ou que têm previsão de novas erupções no futuro próximo. Os dormentes não têm mais erupções, mas existe a possibilidade de isso acontecer no futuro. Os extintos não têm mais erupções e é pouco provável que voltem a ter.

Aliás, por que ocorrem as erupções vulcânicas? Quando as placas tectônicas (blocos que formam a superfície da Terra) se afastam, o magma (massa pastosa e quente que fica no interior do planeta) sobe para preencher o espaço entre elas. Quando as placas se aproximam, uma delas pode ser forçada para baixo, onde o calor faz com que parte desse material derreta e suba como magma. Além disso, o magma também pode subir ao ser aquecido em algumas áreas do interior da Terra que têm temperaturas mais altas.

Na erupção, o magma que sobe passa a ser chamado de lava. Tanto o magma quanto a lava podem formar rochas quando se solidificam. Você já observou aquelas pedras escuras em calçadas? Esta é uma rocha formada a partir de lava solidificada: o basalto. Um exemplo de rocha formada a partir do magma, a grandes profundidades, é o granito, que você pode ver em alguns tipos de pisos. As áreas vulcânicas geralmente são montanhosas devido às várias camadas de rochas e cinzas acumuladas ao longo do tempo pelas erupções.

Nos vulcões existentes na Terra, o material expelido pode ser lava, cinzas e/ou gás. Outros planetas e satélites também possuem vulcões e podem ter diferentes tipos de erupção. Alguns satélites naturais do Sistema Solar possuem criovulcões. Eles são semelhantes aos vulcões da Terra, mas, em vez de lava, expelem água e gases.

E no Brasil?

Pode se tranquilizar: o Brasil não tem vulcões ativos. Mas já teve no passado, e muitos! Cientistas descobriram que a região que hoje corresponde ao Sul e ao Sudeste teve uma série de erupções há cerca de 140 milhões de anos. Inclusive, três das maiores erupções do planeta nesse período foram no Brasil. Minas Gerais e os estados vizinhos tiveram vários vulcões há cerca de 100 milhões de anos.

Com o tempo e a erosão, esses vulcões perderam suas formas originais, mas deixaram marcas nas paisagens que vemos hoje. A lava que se acumulou no Sul contribuiu para formar a Serra Geral, que inclui os estados do Paraná, Santa Catarina e o norte do Rio Grande do Sul. As cidades de Araxá, Tapira e Poços de Caldas, todas em Minas Gerais, estão em crateras formadas por vulcões. A atividade dos vulcões formou também o aquífero Guarani, uma das maiores reservas subterrâneas de água doce do planeta, e a terra roxa, solo fértil encontrado nos estados de São Paulo e Paraná.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *