Instituto TIM

Jogos educativos na sala de aula

04/04/2014

Há várias formas de fazer com que as aulas de ciência se tornem um momento de diversão, sem deixar de lado aprendizagem. Uma dessas formas são os jogos educativos, atividades práticas nas quais as crianças brincam enquanto absorvem os conteúdos da aula. Esse tipo de proposta faz sucesso e prende mais a atenção dos alunos – além de envolver as crianças para aprender, por exemplo, uma fórmula mais complexa (para os mais velhos), ou fazê-las entender como a ciência funciona no cotidiano.

O professor da Universidade Estadual Paulista (UNESP) de Rio Claro Marcus Vinicius Maltempi, que é especialista em jogos eletrônicos e educação, explica que as crianças absorvem mais informações quando realizam uma atividade prática. Entre as opções há vários tipos de jogos que podem ser explorados nas salas de aula, como os competitivos (que envolvem equipes, prêmios e disputa cronometrada): “O professor explora mais o conceito de ‘perder e ganhar’, por isso também é uma opção delicada. São jogos empolgantes, mas que devem ser inseridos com cautela para conseguir lidar com possíveis conflitos”, explica. Existem também os jogos colaborativos: “Jogos interpretativos, onde não há vencedores. Você pode criar papéis para eles, dar mais autonomia”, afirma.

Marcus Vinicius conta que todos nós temos uma ligação muito forte com os jogos. “Faz parte do nosso desenvolvimento intelectual”, reforça. No ambiente escolar, os jogos promovem uma maior interação social (principalmente aqueles em grupo), pois estabelecem o conceito de equipe e cooperação, facilitam a aprendizagem e ajudam na motivação. “Você une a diversão com o conhecimento. O aluno fica mais flexível e pode aprender mais fácil as matérias”, explica Marcus Vinicius.

Mas também é preciso tomar cuidados: os jogos também podem provocar a dispersão – principalmente em salas numerosas. A dica é dosar a parte teórica e a prática. “O ideal é não separar a teoria do jogo. Uma opção é explicar o jogo com as teorias dadas em aula”, informa. Outro alerta vai para o momento de preparar a aula: o papel do professor, ao trazer para a sala de aula um jogo novo, é organizar o ambiente. Fique atento para adaptar o jogo à classe, já que cada grupo de alunos tem sua peculiaridade. “Busque mobilizar o aluno para o conhecimento, procure atividades que sejam dinâmicas e aproxime de sua rotina”, recomenda o professor.

Jogos

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *