Instituto TIM

Contando histórias do seu próprio jeito

11/11/2014

O ato de contar histórias é muito, mas muito antigo! Antes que o ser humano pudesse escrever, tudo era contado por meio da fala. Histórias, crenças e conhecimentos foram passados de geração em geração, criando o que se chama de tradição oral. E hoje, mesmo com a escrita, ainda mantemos essa tradição tão fantástica de ouvir e contar histórias.

Esse recurso está presente a cada etapa do percurso de TIM Faz Ciência. Tanto no DVD que vem junto com o material quanto no site, há vídeos da contadora de histórias Kiara Terra narrando os contos que falam de cada uma das sete operações intelectuais. Mas os professores também podem contar as histórias do seu jeito, interagindo com as crianças e dando um toque especial em cada conto. Confira algumas dicas para deixar esse momento ainda mais interessante!

1. Conheça muito bem a história: Antes de contar aos alunos, leia a história mais de uma vez até ficar bastante familiarizado com ela. Assim, você terá mais segurança para contá-la com suas próprias palavras. Você também pode ensaiar antes com colegas, com grupos pequenos ou até na frente do espelho.
2. Preste atenção na maneira de contar: Use uma linguagem simples, com um tom leve e olhando nos olhos de cada criança. Você pode fazer movimentos e entonações em algumas partes da história, criar sotaques e vozes para os personagens e até fazer aqueles momentos de suspense, deixando todo mundo curioso para saber o que vem a seguir.
3. O local pode fazer a diferença: Aproveite outros espaços da escola para esse momento. Pátio, parquinho, quadra, jardim, biblioteca e outros locais podem dar um clima diferente na hora de contar a história. Mas é importante que seja um lugar mais silencioso, onde todas as crianças possam ficar confortáveis e consigam ver o professor.
4. Use recursos diferentes: Você pode decorar o ambiente, criar cenários, usar fantoches, bonecos, acessórios, músicas… Enfim, usar a criatividade para deixar a história ainda mais interessante aos alunos! Mas escolha esses recursos com moderação. Afinal, a narrativa que é o ponto principal.
5. Interação é a chave: Muitas vezes as crianças também querem participar. Se for possível, improvise e deixe que elas façam parte da contação! Dá para incluir seus comentários na história, fazer algumas perguntas a elas ou pedir para que todos cantem uma música ou façam algum barulho específico. No final, o professor pode conversar com os alunos sobre o que entenderam e acharam da história, além de sugerir que eles contem, escrevam ou desenhem suas próprias versões.

 

Saiba mais:
– “Pedagogia do encantamento” – Revista Educação
– “Técnicas de contar histórias” – Vania Dohme

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *