Instituto TIM

Registros dos povos nos sítios arqueológicos

15/07/2016

Existem lugares que guardam vestígios de povos que viveram há centenas ou milhares de anos: são os sítios arqueológicos. Nessas regiões é possível encontrar pinturas nas rochas, ossadas de seres humanos, utensílios do dia a dia, ruínas e construções, entre outros sinais de que tinha gente morando por lá. São registros muito importantes de diferentes culturas e civilizações que compõem a história da humanidade pelo mundo, e por isso os sítios arqueológicos são tão estudados e protegidos. E no Brasil não é diferente.

Há mais de 20 mil sítios arqueológicos pelo país registrados no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Esses lugares são considerados patrimônios da nação brasileira e são preservados por lei. Só o Parque Nacional Serra da Capivara, que fica no Piauí, abriga mais de mil sítios arqueológicos – 172 deles são abertos à visitação. O parque foi reconhecido como patrimônio mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e é o maior conjunto de sítios arqueológicos das Américas. Lá já foram encontrados carvões de fogueira que são de 50 mil anos atrás. Mas há outros vestígios que podem ser ainda mais antigos, de até 100 mil anos atrás.

Saiba mais sobre o trabalho dos arqueólogos

Os sítios arqueológicos brasileiros têm características bem variadas com registros de civilizações de diferentes épocas. Tem sítios de arte rupestre (desenhos feitos em rochas ou cavernas), aldeias ceramistas (que fabricavam utensílios de cerâmica), sítios históricos (de civilizações que viveram depois da chegada dos portugueses), entre outros. Os arqueólogos já encontraram por aqui ossadas de seres humanos que eram parecidas com as de povos de outros lugares do mundo, como africanos e asiáticos. Isso mostra que o Brasil recebeu migrantes dos mais diversos lugares desde a pré-história, o que levou à grande mistura de culturas e línguas entre os povos indígenas. O fóssil mais antigo de um ser humano encontrado no país foi chamado de Luzia, que viveu há 11 mil anos na região de Lagoa Santa (MG).

Você pode conhecer mais sobre essa grande riqueza cultural e histórica no livro “Sítios arqueológicos brasileiros”, publicado pela UNESCO e pela Editora Brasileira. O livro conta curiosidades dos sítios arqueológicos no país, a importância desses lugares para a história da população brasileira e como é realizado o trabalho de escavação e estudo dos vestígios encontrados. Ele também é recheado de fotos incríveis de sítios arqueológicos brasileiros. O destaque do livro são os sítios do Parque Nacional da Serra da Capivara, mas também há informações e imagens de sítios como o de Tanques, em Jardim do Seridó (RN), Pedra Talhada, em Niquelândia (GO), e São Francisco, em São Sebastião (SP). Dá para você conferir tudo isso gratuitamente na versão online do livro, disponível neste link.

 

Créditos da foto em destaque: “Sítios arqueológicos brasileiros” – UNESCO e Editora Brasileira

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *