Instituto TIM

Sabia que existem árvores bastante perigosas?

07/10/2016

Nas aulas de TIM Faz Ciência, muitos professores convidam seus alunos para observar a natureza ou classificar espécies. Na EMEB Mariana Neves Interliche, de São Bernardo do Campo (SP), as crianças encontraram uma paineira sem folhas nem flores e começaram a regá-la diariamente, até que ela recuperou a folhagem. E tem também a história da EB Maria Tomázia Coelho, de Florianópolis (SC), em que o trabalho de identificação de espécies da vegetação local feito pelos alunos contribuiu para a criação de uma área de preservação. Nessas turmas, as árvores e plantas proporcionaram momentos inesquecíveis. Mas você sabia que algumas delas podem ser muito perigosas?

Na Grécia Antiga, o filósofo Sócrates foi condenado à morte por envenenamento. Para sua execução, foi usado um veneno extraído de uma árvore chamada cicuta (Conium maculatum). Essa árvore pode atingir três metros de altura e todas as suas partes são extremamente venenosas, principalmente as sementes. A árvore cicuta (do gênero Conium) não deve ser confundida com as árvores do gênero Cicuta, que também são muito venenosas: um pedaço da raiz do tamanho de uma ervilha é suficiente para matar uma pessoa.

Quando a gente encontra uma árvore com frutos que parecem doces e apetitosos, a primeira coisa que vem à mente é a vontade de experimentar. Mas nem sempre é uma boa ideia. Muitos já se arrependeram de comer o fruto da mancenilheira (Hippomane mancinella), uma árvore encontrada principalmente nas praias da América Central. Seus frutos são parecidos com pequenas maçãs verdes, porém, são muito venenosos − assim como a casca, os galhos e as folhas, que soltam um líquido extremamente tóxico. Quem já teve contato com essa seiva conta que a sensação é como se a pele estivesse queimando. E se a pessoa que tocou a seiva levar as mãos aos olhos, pode ter uma séria conjuntivite ou até mesmo ficar cega.

É quase impossível saber, só de olhar, quando uma planta é venenosa. O teixo (Taxus baccata), por exemplo, tem pequenas frutas vermelhas e suculentas com abertura na ponta. Podem parecer deliciosas, mas não se engane: este é considerado o arbusto mais venenoso da Europa. Os efeitos da intoxicação no corpo humano são rápidos e é raro alguém sobreviver depois disso.

Talvez você nunca tenha visto as árvores anteriores, mas é bem provável que conheça a mamona (Ricinus communis). Este arbusto tem origem africana e está presente em vários lugares do mundo, inclusive no Brasil. As frutas são bolinhas verdes ou vermelhas cobertas por pequenos espinhos. O óleo retirado da mamona tem várias utilidades, como produção de combustíveis e uso medicinal. Apesar de suas vantagens, as sementes da mamona são altamente tóxicas para os seres humanos. Bastam duas a quatro sementes para matar um adulto!

Outro exemplo brasileiro é a Brugmansia suaveolens, mais conhecida como trombeteira. Ela tem esse nome porque suas flores têm um formato parecido com a trombeta. É um arbusto da América do Sul, muito comum no Brasil. Os cientistas já descobriram vários usos dessa planta para a medicina. No entanto, ela é perigosa e pode causar alucinações e intoxicação e afetar o funcionamento do cérebro.

Viu como as árvores nem sempre são o que parecem? Por isso, nunca experimente uma fruta de uma árvore que você não conhece!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *