Instituto TIM

Invenções que você não sabia serem brasileiras

05/04/2018

Pense rápido: quando falamos em invenções feitas por brasileiros, o que vem à sua mente? Talvez alguém pense no 14-Bis de Santos Dumont, o primeiro avião a decolar e pousar sem a ajuda de equipamentos. Ou então no Museu das Invenções, que fica em São Paulo e reúne mais de 500 invenções, a maioria feita por brasileiros. Mas alguém aí pensa no câmbio automático? Nas radiografias? No relógio de pulso? Pois acredite: essas invenções, entre muitas outras, foram feitas por brasileiros! Confira a seguir a história de algumas:

 

Rádio
Quem entrou para a história como o inventor do rádio foi o italiano Guglielmo Marconi: em 1896, ele patenteou um sistema de telegrafia sem fios que é o precursor do rádio moderno – foi uma descoberta tão sensacional que ele chegou a ganhar o Prêmio Nobel de Física algum tempo depois. Mas dois anos antes, em 1894, o padre brasileiro Roberto Landell de Moura já havia conseguido transmitir a voz de algumas pessoas por aproximadamente 8 km, em linha reta. Diversos fatores fizeram com que o trabalho de Landell fosse esquecido, entre eles o fato de que o padre se recusou a aceitar investimento estrangeiro. Ele acreditava que suas invenções pertenciam ao Brasil.
Saiba mais: super.abril.com.br/historia/o-outro-inventor-do-radio

 

Soro antiofídico
Vital Brazil é um dos nossos maiores cientistas. Ele trabalhou no combate a diversas epidemias nos séculos XIX e XX, como febre amarela, cólera, varíola e peste bubônica, mas foi a criação do soro antiofídico que o colocou na história da ciência mundial. Quando trabalhava no Instituto Bacteriológico de São Paulo, Vital Brazil estudou o assunto a partir do trabalho do francês Albert Calmette – em 1896, ele havia conseguido curar um homem picado por uma naja usando anticorpos (o método de Calmette envolvia injetar em cavalos doses mínimas do veneno da cobra, já desintoxicado por processo químico ou aquecimento, e utilizar os anticorpos gerados pelo animal para tratar picadas). Vital Brazil descobriu que o soro de Calmette não curava picadas de cascavel e jararaca, as mais que matavam por aqui, e que para a picada de cada cobra devia ser ministrado um veneno específico. Até hoje, o método de Vital Brazil é o mais eficaz para neutralização de peçonha.
Saiba mais: g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/ha-100-anos-vital-brazil-entrava-na-historia-ao-receber-patente-do-soro-antiofidico.ghtml

By Internet Archive Book Images – https://www.flickr.com/photos/internetarchivebookimages/17974410299/Source book page: https://archive.org/stream/americanmuseumjo16amer/#page/n215/mode/1up, No restrictions, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=43436693

 

Escorredor de arroz
A dentista Therezinha Beatriz Alves de Andrade estava cansada de ver sua pia entupida toda vez que lavava arroz. Para facilitar esse processo, ela mesma criou um aparato: o escorredor de arroz, que consiste em um utensílio em que é possível lavar o arroz em um compartimento e escorrê-lo em outro. Ela patenteou o objeto – que está presente nas cozinhas de boa parte das casas brasileiras – nos anos 1950.

 

Identificador de chamadas
Não importa se você tem um smartphone ou um telefone fixo – se você consegue ver o número de quem está ligando é por causa do identificador de chamadas. Esse aparato, chamado de Bina (sigla para “B Identifica Número A”) foi inventado pelo eletrotécnico Nélio José Nicolai em 1977, quando trabalhava na estatal Telebrasília. A ideia de Nélio era reduzir o número de trotes e golpes. Ele chegou a ser premiado e reconhecido pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI) pela invenção.
Saiba mais: piaui.folha.uol.com.br/materia/identificador-de-dinheiro

 

BÔNUS:
O câmbio automático foi inventado em 1932 por José Braz Araripe e Fernando Lehly Lemos. Os dois venderam o projeto e o protótipo para a General Motors.
A radiografia como a conhecemos hoje é resultado de uma invenção feita em 1935 pelo médico Manuel de Abreu, a abreugrafia, um método para fazer radiografias do pulmão. Ele chegou a ser indicado cinco vezes ao Prêmio Nobel da Medicina.
O relógio de pulso é obra de Santos Dumont. Ele precisava de um jeito mais prático para cronometrar seus voos que não envolvesse tirar e botar o relógio do bolso o tempo todo (naquele tempo, o relógio era de corrente e ficava no casaco ou colete). Por isso, encomendou à joalheria Cartier um modelo para ser afixado no braço.

 

Confira mais invenções de brasileiros:
UOL
Revista Galileu
Consumidor Moderno
Crédito da foto em destaque: By Unknown – [1], Public Domain, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=55420083

 

Notícias relacionadas:
Descobertas – e confusões – sobre os elementos
Invenções que prometem mudar nossas vidas
Foi mesmo Santos Dumont quem inventou o avião?

 

 

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *